Projetos capacitam profissionais para doença falciforme em Itabira

Foto: Arquivo projetos Linha de Cuidados e Saber para cuidar

As equipes dos projetos Doença Falciforme: Linha de Cuidados na Atenção Primária à Saúde e Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola realizaram, em junho, a capacitação sobre a Doença Falciforme dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do município de Itabira.

Ao todo, foram capacitados 75 profissionais do ESF, entre auxiliares e técnicos de enfermagem. O curso contou com palestras que abordaram a doença falciforme na atenção primária, a importância da equipe multiprofissional na atenção integral, a doença falciforme na escola e o racismo institucional.  O vereador Ronaldo Capoeira, pai de uma criança com doença falciforme e criador da lei municipal que regulamenta a Semana de Conscientização da Doença Falciforme em Itabira, também participou do encontro.

De acordo com Raissa Hilda, pedagoga do projeto Saber para Cuidar, eventos como esses são importantes para expor a vulnerabilidade que a maior parte das pessoas afetadas com a doença está envolvida. “Enfatizar o ciclo socioeconômico de baixa escolaridade e baixa condição socioeconômica é uma oportunidade de refletir sobre as situações que os conduzem para isso como o racismo, o preconceito e a sintomatologia da doença. Para romper com esse ciclo são necessários os esforços de todos os setores educação, saúde e assistência social”, explica.

Janaina Neres, pedagoga do projeto Linha de Cuidados e coordenadora do Grupo Técnico do Racismo Institucional, reforça que a discussão sobre racismo institucional no contexto da doença falciforme, ainda é árdua, mas essencial para que sejam quebrados vários paradigmas que repercutam na superação da situação de racismo e das iniquidades em saúde vivenciadas pelas pessoas com doença falciforme.

A capacitação foi proposta pela Secretaria Municipal de Saúde motivada pela Lei Municipal Nº 4.912/2016.

Redação: Katy Karoline Santos Diniz
Edição: Mariana Pires