Todos os Exames

Para pesquisar digite o nome ou parte do nome do exame (ou clique na letra inicial).

Exame: Toxoplasma gondii – Detecção de anticorpos igA anti (soro)
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Determinação qualitativa de anticorpos da classe IgA anti-toxoplasma.
Tipo de amostra: Soro
Preparo: Intervalo entre mamadas para lactentes.
Coleta e envio: Enviar material sob refrigeração a 2 – 8° C ou congelado a -25° ± 6° C, em embalagem própria para este tipo de transporte. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 12 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Hemólise, lipemia, contaminação microbiana.
Metodologia: Imunoensaio enzimático.
Exame: Toxoplasma gondii – Detecção de anticorpos igG anti (sangue seco)
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Determinação qualitativa de anticorpos IgG anti-toxoplasma em amostras de sangue seco coletadas em papel filtro.
Tipo de amostra: Sangue seco colhido em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Punção digital. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Antes de serem processadas, as amostras passam por um processo de avaliação, devendo preencher alguns critérios definidos pelo Nupad, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoensaio enzimático.
Exame: Toxoplasma gondii – Detecção de anticorpos igG anti (soro)
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Teste quantitativo automatizado para doseamento quantitativo de anticorpos da classe IgG anti toxoplasma.
Tipo de amostra: Soro.
Preparo: Jejum obrigatório de 8 horas. Intervalo entre mamadas para lactentes.
Coleta e envio: Enviar material sob refrigeração a 2 – 8° C ou congelado a -25° ± 6° C, em embalagem própria para este tipo de transporte. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Hemólise acentuada, lipemia acentuada, contaminação bacteriana.
Metodologia: ELFA (enzyme linked fluorescent assay)
Exame: Toxoplasma gondii – Detecção de anticorpos igM anti (sangue seco)
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Determinação qualitativa de anticorpos IgM anti-toxoplasma em amostras de sangue seco coletadas em papel filtro.
Tipo de amostra: Sangue seco colhido em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Punção digital. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Antes de serem processadas, as amostras passam por um processo de avaliação, devendo preencher alguns critérios definidos pelo Nupad, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Enzimaimunoensaio de captura.
Informações adicionais: Resultados positivos ou indeterminados devem ser confirmados por sorologia pelo método ELFA.
Exame: Toxoplasma gondii – Detecção de anticorpos igM anti (soro)
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Teste qualitativo automatizado que permite a detecção de anticorpos da classe IgM anti toxoplasma.
Tipo de amostra: Soro.
Preparo: Jejum obrigatório de 8 horas. Intervalo entre mamadas para lactentes.
Coleta e envio: Enviar material sob refrigeração a 2 – 8° C ou congelado a -25° ± 6° C, em embalagem própria para este tipo de transporte. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Hemólise, lipemia, contaminação bacteriana.
Metodologia: ELFA (enzyme linked fluorescent assay)
Exame: Toxoplasma gondii – Teste de avidez de anticorpos igG anti
*Este exame faz parte do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Teste qualitativo automatizado para determinação da avidez dos anticorpos da classe IgG anti toxoplasma.
Tipo de amostra: Soro.
Preparo: Jejum obrigatório de 8 horas.
Coleta e envio: Enviar material sob refrigeração a 2 – 8° C ou congelado a -25° ± 6° C em embalagem própria para este tipo de transporte. Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Controle da Toxoplasmose Congênita de Minas Gerais ou por SEDEX.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informações, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Hemólise, lipemia, contaminação bacteriana.
Metodologia: ELFA (enzyme linked fluorescent assay)
Exame: Toxoplasmose – Qualitativo
Descrição: Detecção do toxoplasma por PCR (reação em cadeia da polimerase) em Tempo Real – Teste qualitativo
Indicações médicas: Suspeita clínica de infecção por Toxoplasma gondii.
Tipo de amostra: – Sangue venoso
– Líquor (0,5 a 1,5 ml)
– Fluído ocular (0,5 ml)
– Líquido amniótico (5 – 10 ml)
Coleta e envio: Amostras de sangue:

No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 17h.

Em outro posto de coleta em Belo Horizonte: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA e entregar no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar) imediatamente após a coleta.

Em posto de coleta fora de Belo Horizonte: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA, separar o plasma do sangue por centrifugação e enviar via portador imediatamente. No caso de não ser possível, congelar o plasma a -20°C, e para envio embalar em caixa de isopor com gelo gel congelado e enviar via portador ao Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Amostras pré-natais e outros fluidos:

Devem ser coletadas por especialista. São entregues diretamente no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar). Consulta sobre tipos de amostras, coleta, volume e outras informações pode ser feita pelos telefones abaixo.

Enviar solicitação de exame contendo nome do paciente, data e horário da coleta.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 2 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-9704 / 8950 / 8951
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostras de sangue hemolisadas ou coletada com outro anticoagulante, amostras de sangue congeladas, quantidade insuficiente para análise, amostras conservadas a temperatura ambiente.
Metodologia: PCR para detecção do Toxoplasma gondii
Resultados: É informada a presença ou ausência do DNA do Toxoplasma gondii na amostra analisada.
Observações: Resultados negativos (DNA do Toxoplasma gondii não detectável) podem ocorrer devido à ausência de DNA ou à presença de fatores inibidores na amostra.
Exame: Translocação BCR / ABL – PCR em Tempo Real Qualitativa
Descrição: Detecção da fusão bcr/abl (p210 e p190) por PCR (reação em cadeia da polimerase) em Tempo Real para detecção (teste qualitativo) da translocação 9;22 da LMC (leucemia mielóide crônica).
Indicações médicas: – Diagnóstico de leucemia mielóide crônica
– Diagnóstico de leucemia linfoide aguda (LLA) em adultos
– Detecção de doença residual mínima da LMC
Tipo de amostra: – Sangue venoso em EDTA
– Aspirado de medula óssea
Preparo: Definido pelo médico responsável pela coleta de medula óssea.
Coleta e envio: Amostras de sangue:

No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 16h.

Em outro posto de coleta: coletar sangue periférico em tubo com EDTA e enviar via portador imediatamente. Amostra deverá ser entregue no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Amostra de medula óssea:

Amostra deverá ser coletada pelo médico em seringa com EDTA.

Após coletada a amostra, homogeneizar suavemente na seringa para evitar coagulação. Amostra deverá ser entregue na própria seringa imediatamente após coletada no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Para todas as amostras:

Para qualquer variante de amostra, enviar a solicitação de exame contendo nome do paciente, tipo de amostra, data e horário de coleta e resultados de exames hematológicos anteriores quando houver.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 5 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-9704 / 8950 / 8951
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada ou coagulada, amostra congelada, quantidade insuficiente para análise ou amostra coletada com outro anticoagulante.
Metodologia: PCR em Tempo Real (Asuragen BCR/ABL 1 Quant Test) para detecção da fusão bcr/abl p210 e p 190.
Resultados: Presença ou ausência da translocação bcr t (9;22).
Exame: Translocação BCR / ABL – PCR em Tempo Real Quantitativa
Descrição: Quantificação da fusão bcr/abl (p210 e p190) por PCR (reação em cadeia da polimerase) em Tempo Real para quantificação (teste quantitativo) da translocação 9;22 da LMC (leucemia mielóide crônica).
Indicações médicas: – Avaliação da resposta terapêutica da LMC com a translocação BCR/ABL (cromossomo Philadelphia)
– Monitoramento da LMC
Tipo de amostra: – Sangue venoso em EDTA
– Aspirado de medula óssea
Preparo: Definido pelo médico responsável pela coleta de medula óssea.
Coleta e envio: Amostras de sangue:

No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 16h.

Em outro posto de coleta: coletar sangue periférico em tubo com EDTA e enviar via portador imediatamente. Amostra deverá ser entregue no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Amostra de medula óssea:

Amostra deverá ser coletada pelo médico em seringa com EDTA.

Após coletada a amostra, homogeneizar suavemente na seringa para evitar coagulação. Amostra deverá ser entregue na própria seringa imediatamente após coletada no Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Para todas as amostras:

Para qualquer variante de amostra, enviar a solicitação de exame contendo nome do paciente, tipo de amostra, data e horário de coleta e resultados de exames hematológicos anteriores quando houver.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 5 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-9704 / 8950 / 8951
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada ou coagulada, amostra congelada, quantidade insuficiente para análise ou amostra coletada com outro anticoagulante.
Metodologia: PCR em Tempo Real (Asuragen BCR/ABL 1 Quant Test) para quantificação da fusão bcr/abl p210 e p190.
Resultados: Será expresso no laudo o número de cópias do gene constitutivo ABL 1, número de cópias de BCR/ABL 1, relação BCR/ABL – ABL (%) e relação BCR/ABL – ABL (%) ajustada na escala internacional.
Informações adicionais: – Detecta e quantifica número de cópias das fusões p210 e p190.
– Limite de detecção do teste é de 10 cópias do transcrito bcr/abl 1 por reação.
– Limite de quantificação é de 50 cópias do transcrito bcr/abl 1 por reação.
– Controle interno da reação o gene constitutivo abl 1.
– O resultado da quantificação é ajustado na escala internacional (EI) através do fator de conversão do laboratório.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada
*Este exame faz parte do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Teste do pezinho ampliado (TSH neonatal + 17OH progesterona + fenilalanina + tripsina imunorreativa + eletroforese de HB).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 2 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Fluorometria/Imunoenzimatico/Cromatografia Líquida de Alta Resolução/ Focalização Isoelétrica.
Resultados: – Dosagem do TSH (hormônio estimulante da tireóide – Menor que 10 mUI/L

– Dosagem de 17 hidroxiprogesterona:

para peso >= 2500g, menor que 14 ng/mL
para peso ≥2.000g a 2.499g, menor que 45 ng/mL
para peso ≥1.500g a 1.999g menor que 92 ng/mL
para peso <1.500g, menor que 150 ng/mL

– Dosagem da Phe (fenilalanina – Menor que 240 µmol/L)

– Dosagem da IRT (tripsina imunorreativa – Menor que 70 ng/mL)

– Análise das Hemoglobinas – Perfil Hemoglobínico

Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) básica
*Este exame faz parte do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) básica (TSH neonatal + fenilalanina + eletroforese de HB) em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 2 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Fluorometria/Imunoenzimatico/Cromatografia Líquida de Alta Resolução/ Focalização Isoelétrica.
Resultados: – Dosagem do TSH (hormônio estimulante da tireóide – Menor que 10 mUI/L)
– Dosagem da Phe (fenilalanina – Menor que 240 µmol/L)
– Análise das Hemoglobinas – Perfil Hemoglobínico
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus)
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para detecção de anticorpos CMV (Citomegalovirus) em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico.
Resultados: A definir.
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase
*Este exame faz parte do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais. Saiba mais.
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para dosagem quantitativa da atividade enzimática da biotinidase em sangue seco (papel-filtro)
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Fluorometria
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para dosagem de G6PD em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para dosagem de galactose em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para HIV1+2
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para detecção de anticorpos anti HIV 1+2 em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico.
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano)
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para detecção de anticorpos anti HTLV (Vírus T-linfotrópico humano) em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico.
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para detecção de anticorpos totais para sífilis em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferencialmente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 7 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii
Descrição: Triagem neonatal (teste do pezinho) para detecção de anticorpos IgM anti Toxoplasma gondii em sangue seco (papel-filtro).
Indicações médicas: Colher preferentemente do 3º ao 5º dia após o nascimento e no máximo até o 30º dia. Colher antes do 3º dia de vida apenas caso exista solicitação médica.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Jejum não é necessário.
Coleta e envio: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Imunoenzimatico.
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita, Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho). Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa – ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO
Descrição: Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia. Perfil por Espectrometria de Massa em Tandem (MSMS). Análise individual para diagnóstico. TESTE DO PEZINHO. ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO
Indicações médicas: – Suspeita clínica de Erros Inatos do Metabolismo.
– Histórico familiar de Erros Inatos do Metabolismo.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Nenhum.
Coleta e envio: Punção calcanhar: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Punção Venosa: Realizar punção venosa e aplicar gotas de sangue no cartão e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

PTNMG: Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Convênios/particulares: Enviar ao Nupad.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 2 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Espectrometria de Massas
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita e Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD).
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho). Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas – por Espectrometria de Massa (inclui Deficiência da MCAD) – ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO
Descrição: Distúrbios da beta oxidação dos ácidos graxos e dos ácidos orgânicos – acilcarnitinas. Perfil Quantitativo por Espectrometria de Massa em tandem (MSMS). Análise individual para diagnóstico (inclui Deficiência da MCAD) -TESTE DO PEZINHO – ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO.
Indicações médicas: – Suspeita clínica de Erros Inatos do Metabolismo.
– Histórico familiar de Erros Inatos do Metabolismo.
Tipo de amostra: Círculos de sangue em papel filtro.
Preparo: Nenhum.
Coleta e envio: Punção calcanhar: Fazer a antissepsia do calcanhar com álcool 70% e deixar secar completamente. Puncionar a lateral do calcanhar com lanceta descartável. Desprezar a primeira gota de sangue e deixar formar uma gota grande; encostar o cartão na gota de sangue e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

Punção Venosa: Realizar punção venosa e aplicar gotas de sangue no cartão e aguardar sua completa absorção, embebendo o campo do papel filtro até o verso; deixar secar a gota de sangue completamente e naturalmente, na posição horizontal em temperatura ambiente (não usar nenhum artifício como secador ou estufa para secar o papel); após secagem da amostra em papel filtro, acondicionar no envelope e manter refrigerado, de 2 a 8°C, até o envio.

PTNMG: Realizar o envio por meio de carta resposta do Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais ou por SEDEX.

Convênios/particulares: Enviar ao Nupad.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 2 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: As amostras passam por um processo de avaliação, segundo a norma CLSI-Blood.Collection-NSP-NBS01-A6-2013, de forma a garantir a confiabilidade dos resultados. Aquelas que não se encaixam nos critérios são consideradas inadequadas para a realização dos exames, sendo necessário colher nova amostra.
Metodologia: Espectrometria de Massas
Outros exames que poderão ser realizados com a mesma amostra: Triagem neonatal (teste do pezinho) ampliada, Triagem neonatal (teste do pezinho) básica, Triagem neonatal (teste do pezinho) para H1V1+2, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Toxoplasma gondii, Triagem neonatal (teste do pezinho) para CMV (Citomegalovírus), Triagem neonatal (teste do pezinho) para HTLV (Vírus T-linfotrópico humano), Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de Biotinidase, Triagem neonatal (teste do pezinho) para Deficiência de G6PD, Triagem neonatal (teste do pezinho) para galactosemia, Triagem neonatal (teste do pezinho) para sífilis congênita e Aminoacidopatias e distúrbios do ciclo da ureia por Espectrometria de Massa.
Informações adicionais: Os resultados dos exames laboratoriais da triagem são influenciados por fatores fisiológicos, patológicos, transfusão de sangue, dentre outros. Apenas o médico tem condições de avaliá-los e confirmar o diagnóstico.
Exame: Triagem neonatal (teste do pezinho). Imunodeficiência Combinada Grave – (SCID) – PCR em Tempo Real Quantitativa – ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO
Descrição: Detecção e quantificação do TREC por PCR (reação em cadeia da polimerase) em Tempo Real para diagnóstico da Imunodeficiência Combinada Grave – SCID. TESTE DO PEZINHO – ESCALA DE TRIAGEM – PAPEL FILTRO.
Indicações médicas: – Triagem neonatal para SCID.
Tipo de amostra: – Sangue venoso.
– Sangue em papel filtro.
Preparo: Nenhum.
Coleta e envio: No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 17h.

Em outro posto de coleta: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA e enviar via portador imediatamente. No caso de não ser possível, armazenar a amostra a 4ºC e enviar em até 72 horas. Para envio da amostra embalar em caixa de isopor contendo gelo gel congelado e enviar via portador ao Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar).

Enviar solicitação de exame contendo nome do paciente.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 3 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada, amostra congelada, quantidade insuficiente para análise, amostra coletada com outro anticoagulante.
Metodologia: PCR em Tempo Real para quantificação de TREC (círculos excisados dos receptores de células T).
Resultados: Será expresso o número de cópias de TRECs/µl de sangue. Valores menores que 25 TREC por µl de sangue, resultado alterado.
Informações adicionais: Os TRECs são marcadores do desenvolvimento normal de linfócitos T. Amostras de sangue com baixo número ou níveis indetectáveis de TRECs são sugestivas de SCID ou de outras linfopenias de células T.
Exame: Triagem neonatal. Hemoglobinas variantes. Teste molecular para confirmação de genótipos AS, SS, AC, CC ou AD
Descrição: Detecção por PCR qualitativa de variantes de hemoglobinas para definição dos genótipos AS, SS, AC, CC ou AD. O valor do exame aplica-se a cada genótipo em separado, conforme solicitação.
Indicações médicas: Teste confirmatório da triagem neonatal para hemoglobinopatias.
Tipo de amostra: – Sangue venoso.
– Sangue em papel filtro.
Preparo: Nenhum.
Coleta e envio: No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 16h.

Em outro posto de coleta: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA ou em papel filtro e enviar via portador imediatamente. No caso de não ser possível o envio imediato da amostra de sangue líquido, armazená-la a 4ºC. Para envio desta amostra embalar em caixa de isopor contendo gelo gel congelado e enviar via portador ao laboratório de genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar). A amostra em papel poderá ser enviada em envelope a temperatura ambiente.

Enviar solicitação de exame contendo nome do paciente, data e horário da coleta.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 5 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada, amostra congelada, quantidade insuficiente para análise, amostra coletada com outro anticoagulante.
Metodologia: – PCR alelo-específica para as variantes de hemoglobina S, C e normal correspondente a estas variantes no códon 6 da cadeia beta globina.
– PCR alelo-específica para a variante de hemoglobina D-Punjab e normal correspondente a esta variante no códon 121 da cadeia beta globina.
Resultados: Será informada a presença das variantes estudadas em estado homozigoto, heterozigoto ou ausência das variantes.
Exame: Triagem neonatal. Hemoglobinas variantes. Teste molecular para confirmação de genótipos SC, SD ou CD
Descrição: Detecção por PCR qualitativa de variantes de hemoglobinas para definição dos genótipos SC, SD ou CD. O valor do exame aplica-se a cada genótipo em separado, conforme solicitação.
Indicações médicas: Teste confirmatório da triagem neonatal para hemoglobinopatias.
Tipo de amostra: – Sangue venoso.
– Sangue em papel filtro.
Preparo: Nenhum.
Coleta e envio: No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 16h.

Em outro posto de coleta: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA ou em papel filtro e enviar via portador imediatamente. No caso de não ser possível o envio imediato da amostra de sangue líquido, armazená-la a 4ºC. Para envio desta amostra embalar em caixa de isopor contendo gelo gel congelado e enviar via portador ao laboratório de genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar). A amostra em papel poderá ser enviada em envelope a temperatura ambiente.

Enviar solicitação de exame contendo nome do paciente, data e horário da coleta.

Marcação: Não é necessário marcação.
Prazo de entrega de resultados: 5 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelo telefone: (31) 3409-8900
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada, amostra congelada, quantidade insuficiente para análise, amostra coletada com outro anticoagulante.
Metodologia: – PCR alelo-específica para as variantes de hemoglobina S, C e normal correspondente a estas variantes no códon 6 da cadeia beta globina.
– PCR alelo-específica para a variante de hemoglobina D-Punjab e normal correspondente a esta variante no códon 121 da cadeia beta globina.
Resultados: Será informada a presença das variantes estudadas em estado homozigoto, heterozigoto ou ausência das variantes.
Exame: Trombofilia – PCR Qualitativa (Fator V, Protrombina, MTHFR)
Descrição: Trombofilia – detecção das mutações do Fator V de Leiden, Protrombina e MTHFR por PCR (reação em cadeia da polimerase) – Teste qualitativo
Indicações médicas: – Suspeita clínica de trombofilia hereditária.
– Histórico familiar de trombose venosa (identificação de portadores para aconselhamento genético).
– Avaliação de risco de trombose venosa.
Tipo de amostra: Sangue venoso.
Preparo: Nenhum
Coleta e envio: No posto de coleta do Nupad: de segunda a sexta-feira das 7h às 17h.

Em outro posto de coleta: Coletar sangue periférico em tubo com EDTA e enviar via portador imediatamente. No caso de não ser possível, armazenar a amostra a 4ºC e enviar em até 72 horas. Para envio da amostra embalar em caixa de isopor contendo gelo gel congelado e enviar via portador ao Laboratório de Genética do Nupad (Faculdade de Medicina – 5º andar)

Para qualquer tipo de amostra enviar solicitação de exame contendo nome do paciente.

Marcação: Não é necessária marcação.
Prazo de entrega de resultados: 5 dias úteis.
Para informar-se sobre o valor do exame, entre em contato pelos telefones: (31) 3409-9704 / 8950 / 8951
Informações técnicas
Situações de rejeição da amostra: Amostra hemolisada, amostras congeladas, quantidade insuficiente para análise, amostras coletadas com outro anticoagulante.
Metodologia: PCR alelo-específica para as mutações G1691A do gene do Fator V, G20210A do gene da protombina e C677T do gene MTHFR.
Resultados: – Negativo: não foi detectada nenhuma das três mutações em nenhum dos dois alelos de cada gene.
– Presença da mesma mutação dos dois alelos.
– Heterozigoto: presença de apenas uma das mutações em um dos alelos.